Carta para a Rosa


Inês Rocha
Milene Salgueiro
Salomé Piqueira

Vanessa Salgueiro

Receita Mágica


Era uma vez, em tempos longínquos, nas profundezas do oceano, uma sereia que por acaso se chamava Ariel! Em certo dia, Ariel preparou uma receita mágica que continha dos mais variados ingredientes: algas marinhas com recheio de camarão e caranguejo, conchas acompanhadas com estrelas-do-mar, e nem o Nemo escapou! (que enquanto nadava alegremente, acabou por se tornar no prato principal). Aproveite esta deliciosa receita e adicione-lhe Nobita, com todo o seu desastre, para lhe dar um sabor mais picante. Mas invade-nos uma grande dúvida: como fazer uma receita extravagante? Só mesmo adicionando-lhe 101 cachorrinhos com pintas pretas recheadas de chocolate preto! Mas quem são eles? Hein?! Ah! Os 101 Dálmatas, que vêm acompanhados pela Cruella De Vil! E vejam só! Mesmo dentro do caldeirão persegue-os sequiosamente! Se ela mostrar alguma resistência, arranque-lhe alguns dos seus volumosos cabelos ou destrua as suas peles! Nunca falha! Bem, mas esta receita ainda não está perfeita! Para isso, falta o Pato Donald! Simpatize com ele e faça-o chocar um ovo que depois de estrelado será adicionado à receita. Por fim, junte Doraemon, que com todos os seus instrumentos futuristas adicionará um toque moderno à receita.
Aqueça, então, de preferência num caldeirão, a 101ºC para conseguir desfazer cada um dos cachorrinhos, sem problemas nem complicações, e misture bem para não sobrarem vestígios! Bom proveito!

Nota: recomendamos que depois de ingerir a refeição circule perto, muito perto de um hospital… é que nunca se sabe!
.
Inês Rocha
Milene Salgueiro
Vanessa Salgueiro

Conto de Natal

Era uma vez, uma cidade chamada Goten que ansiava pelo Natal, toda a gente na cidade já fazia as compras e as decorações natalícias
Mas, um dia, chegou uma nave gigante à cidade rasgando o céu, aspirando todas as decorações e presentes de Natal, o piloto dessa nave era Darth Vader.
O Natal estava condenado, mas felizmente muitos heróis passavam o Natal naquela cidade como o Batman, Pikachu, Hércules. O destino de salvar o Natal estava nas suas mãos. Rapidamente se puseram em acção, com o seguinte plano: enquanto Hércules agarrava na nave para não se escapar, Pikachu iria lançar uma descarga eléctrica na nave para a imobilizar e nesse instante Batman entraria na nave apanhando de surpresa o vilão e, de seguida, reaver os presentes para a cidade.
Tudo isto correu muito bem, mas o vilão continuava á solta, mas não iria longe sem a sua nave.
- Aproveitem o Natal, eu aguento com ele sozinho. – disse Batman, prontamente
E, rapidamente, Batman voltou àquela gigante nave avariada. Devido ao gigante tamanho da nave, Batman demorou o seu tempo a encontrar o vilão, mas finalmente encontrou-o, ao fim de algumas horas.
O momento pelo qual todos esperavam começou. Naquele momento tinha-se iniciado uma batalha épica.
Batman iniciou frente a frente com Darth Vader.
Darth Vader, depressa agarra o seu Light sabre e ataca Batman.
Batman desvia-se e manda um pontapé na mão de Darth Vader.
Darth Vader perdeu o sabre mas com o poder da Força, levantou Batman pelo ar e mandou-o contra a parede da nave.
Darth Vader disse:
-Parece que estás acabado Batman.
Mas Batman ainda se conseguia levantar.
Batman saltou por cima de Darth Vader, atordoou-o com um pontapé e pôs-lhe umas algemas.
Darth Vader foi parar à prisão e Batman, Pikachu e Hércules salvaram o Natal.
Então Batman disse:
-O nosso trabalho aqui está feito, Feliz Natal!
Filipe Martins
Jorge Carapeta
Pedro Serra

Receita Tradicional para um conto de natal

Estávamos na época de Natal. Numa tarde fria e húmida Shrek sai de casa à procura de algo para comer na noite de consoada, que se estava a aproximar. Passado algum tempo, Shrek encontra um rio ao fundo de alguns pinheiros. Resolve sentar-se ao pé do rio e pouco tempo depois, encontra um pequeno peixe laranja a saltitar por entre as pequenas ondinhas que apareciam.
Nesse instante, Nemo, o pequeno peixe salta para fora do rio e fica a nadar numa pequena poça ao lado do rio quando começa a falar com Shrek. Nemo diz-lhe não tinha ninguém com quem passar a noite de Natal. Shrek diz-lhe para ele passar a noite de Natal em sua casa. Shrek vai caminhando para sua casa enquanto Nemo vai ao seu lado pelo rio. Depois de uma longa caminhada, Shrek e Nemo encontram-se com dois homens. Um deles era louro e de baixa estrutura, o outro era ruívo com umas longas tranças e ambos tinham um bigode. Shrek e o seu novo amigo aproximaram-se dos homens e começaram a falar com eles. Descobriram que um deles se chamava Astérix e o outro Obélix. Eram Gauleses e gostavam de ir à caça, principalmente caçar javalis. Shrek disse-lhes que também gostava de ir à caça e os dois gauleses convidaram-no para ir à caça. Shrek aceita e vai com eles e deixa Nemo sozinho no rio. Ao voltarem satisfeitos da caça Nemo tinha desaparecido, deixando-os preocupados. Ao lado de um pinheiro viram Ruca o fugir com um saco com Nemo dentro. Correram atrás dele mas mesmo com a poção mágica, Shrek não o conseguiu apanhar. Acabaram por desistir, devido ao cansaço e encontraram os sete anões. Perguntaram se sabiam onde morava o Ruca e eles disseram-lhes que Ruca morava na cidade. Os três amigos procuraram a casa do Ruca tencionando levar o Nemo para casa. Shrek, ao seguir as intruções dos sete anões, chegou à casa do Ruca. Bateram à porta, esta foi aberta pelo Ruca que lhe perguntou o que é que eles queriam. Shrek falou com o Ruca, e este continuou a dizer que não tinha o Nemo. Depois, Shrek, Astérix e Obélix ouviram Nemo a gritar. Astérix tomou a poção mágica e deu um grande murro atirando o Ruca para fora da casa. Shrek encontrou Nemo num quarto da casa de Ruca e levou-o para sua casa enquanto Obélix ligava para a polícia. Ruca foi preso. Nessa noite, todos festejavam na casa de Shrek a noite de Natal com alegria.
Inês Teixeira
Rita Palma

Receita Tradicional


Era uma vez uma princesa chamada Branca de Neve que vivia com sete pequenos anões numa casinha muito pequenina. Certo dia a Bruxa Má decidiu fazer uma tarte de maçã, com os ingredientes mais famosos do Pais das Maravilhas: um coelho cheio de tomate de maçã, pequenos cogumelos de Azeitão, chupa-chupa de Coca-Cola e adicionando-lhe uma maçã envenenada.
Então no dia a seguir foi fazer uma visita a casa dos sete anões, mas quem estava lá era o Tio Patinhas… O que será que tinha acontecido à Branca de Neve?
Branca de Neve tinha ido passear à Terra do Nunca, tinha ido ter com o seu noivo o Capitão Gancho. O animal de estimação do Capitão Gancho era o Gato das Botas, o fiel amigo de Shrek, o ogre mais feio que existe a fase da Terra.
Mas voltando a nossa Branca de Neve, já tinha voltado à casa dos sete anões e ainda lá estava a Bruxa Má à espera dela, para lhe dar a tarte. Quando Branca de Neve dá uma trinca numa fatia da tarte, começa a dançar o “rebelution”. A Bruxa Má fica muito zangada por não ter morto a Branca de Neve, mas é a vida, então começa também a dançar. Juntam-se a festa os setes anões, o Peter Pan, o Capitão Gancho com o seu Gato das Botas e o seu amigo Shrek.
.
Salomé Piqueira

Samurai Jack

Era uma vez o Samurai Jack que acordou na véspera de Natal e detectou que o saco das prendas, que a Santa Claus lhe deu, não estava no sítio.
Jack em desespero dá um triplo mortal da cama e aterrou mesmo de cara na gaveta aberta. É o ritual natalício. Ao procurar o saco, o Jack vê muitas pegadas pequenas no chão, ao abaixar-se e ao cheirá-las apercebeu-se que o cheiro não lhe era estranho, era similar a um cheiro a terra e batata.
Jack sem perder muito tempo ligou o seu computador e registou todos os dados das pegadas. Quando o loading acabou o grande Samurai ficou estupefacto, porque foram os sete anões que apareceram lá.
Telefonema do Jack para o seu melhor amigo:
“- Estou Bugs, estàs em linha?
- Estou mano, como é que vai isso?
- Vai mal….
- Então, o que se passa?
- O que se passou foi que os sete anões tiveram em minha casa e roubaram-me o saco das prendas! Olha fazemos assim, daqui a meia hora encontramo-nos no Bigorna.
- Está combinado, abraço!
Passado algum tempo, eles encontraram-se no respectivo bar e o grande Samurai explicou a situação ao seu melhor amigo. Assim, pediu ajuda ao Bunny para desmascarar os sete anões.
De acordo com o plano decidiram atacar de madrugada. Quando chegaram à quinta dos sete anões depararam com uma dança esquisita a volta das prendas e no meio das prendas estava a Branca de Neve. Os Sete Anões e a Branca de Neve pensavam que ao fazerem a tal dança as prendas se multiplicavam.
Quando o grande Jack e o Bunny foram enfrentá-los, perceberam que eles eram judeus e só faziam mal.
Tentaram conversar com calma, e o Jack percebeu que os sete anões andavam a roubar os presentes às crianças para ficarem com elas. Entretanto a Branca de Neve já não estava a gostar da conversa e mandou os Sete anões atacarem o Samurai e o Bunny, mas o Samurai com os seus grandes truques e com a grande ajuda do Bugs conseguiu vencê-los. Ataram os sete anões a volta de uma árvore
enorme. Quando acabaram de atar os sete anões deram pela falta da Branca de Neve. Ela tinha levado os presentes todos e tinha fugido!
Aku, que era o avo do Jack, pressentiu que ele estava a precisar de ajuda e foi ter com ele. Quando Aku chegou conversou com o Jack, e ele explicou-lhe alguns pormenores, depois disso foram atrás da Branca de Neve.
Com a sua grande rapidez chegou às minas e encontraram-na lá com as prendas.
Samurai foi a correr em sua direcção a apanhar mas ela desviou-se tão rápido que ele nem teve tempo de parar, mas o seu avô preveniu-se e foi por outro lado e apanhou-a nas costas!
Amarraram-na e queimaram-na na mina, depois disso levaram as prenda e os três grandes heróis distribuíram os presentes pela vila toda.
.
Doina Babcenco

Tio Patinhas vai de viagem


Um dia nasceu um grande senhor, mais conhecido por Tio Patinhas. Este era uma das pessoas mais conhecidas mundialmente, era muitíssimo rico, mas não tinha família, por isso decidiu fazer uma longa viagem até ao Brasil.
A sua viagem estava a correr bastante bem até haver um problema num dos motores do avião, por isso teve de parar imediatamente no meio da amazónia. Quando o avião aterrou no meio da selva as pessoas decidiram ir dar uma volta pela selva para conhecerem melhor o local, e foi o que o Tio Patinhas também fez. O piloto disse: - “ Daqui a 2 horas regressem para perto do avião, que continuaremos a nossa viagem, sem qualquer problema”.
O Tio Patinhas, que era muito distraído, foi dar uma longa volta e apreciar tudo ao pormenor, não tendo a noção do tempo, quando voltou ao ponto de encontro, o avião já lá não estava. O Tio Patinhas ficou bastante preocupado não querendo acreditar no que se passava, por isso o que ele fez foi procurar e procurar com esperanças de encontrar o avião. Durante o tempo todo que andou à procura, ele não conseguiu encontrá-lo nem sequer avistar por ali um, mas passado algum tempo, Tio Patinhas encontrou um miúdo com cerca de 11 anos que era conhecido como o Tarzan. O Tio Patinhas pediu-lhe ajuda para encontrar o avião, e ele aceitou ajudá-lo e disse:
- Espera um pouco vou só chamar o Terk e volto já.
- Quem é o Terk”- perguntou o Tio Patinhas.
-Terk é um chimpanzé que vive comigo”. - respondeu Tarzan .
E lá foram eles à procura do avião. Procuraram bastante mas não o encontraram, por isso Tarzan carinhoso como era perguntou-lhe:
- Queres ficar a dormir aqui connosco, na nossa tenda?
- Que gentil da tua parte, muito… muito obrigado.
E assim passou a noite com os seus companheiros que depois ficaram grandes amigos. No dia seguinte, Tio Patinhas ia ligar para alguém para pedir ajuda e apercebeu-se que tinha perdido o telemóvel, e ai começou uma nova e grande aventura pela selva. Tarzan e o seu grande amigo Terk sobreviviam da caça e da pesca por um pequeno rio que lá passava, e Tarzan perguntou ao Tio Patinhas:
-Queres vir pescar connosco?
E o Tio Patinhas respondeu:
- Sim, claro porque não haveria de ir?
E lá foram eles pescar a um pequeno rio, enquanto pescavam e cada um contava a sua vida, anedotas, e.t.c …Repararam num brinquedo que ia a flutuar na beira do rio, então eles decidiram apanhá-lo pensando que seria de alguém do avião.
O boneco disse:
-As pessoas que tu procuras estão do outro lado da montanha e o avião também.
-Como é que sabes que procuro pessoas e um avião? - perguntou Tio Patinhas. –Não sei, adivinhei. - respondeu o boneco.
E o Patinhas disse para o Tarzan:
-Isto é muito estranho não é? Então como é que ele sabe o que eu procuro e como me perdi aqui?
- Pois isso já não sei, só sei que é muito estranho ele saber tudo isto sobre ti. - disse o Tarzan.
Estavam os três bastante surpreendidos. Pararam de pescar e foram ver se realmente o que o boneco tinha dito era verdade. Ao fazer o trajecto para o outro lado da montanha encontraram uma belíssima rapariga e perguntaram:
- Quem és tu? És alguém da viagem que também se perdeu?
-Viagem? Qual viagem? Ah esse boneco é meu, onde o encontraste? - perguntou a rapariga.
– Encontrei-o a flutuar no rio. Ele disse que viu muitas pessoas e um avião do outro lado da montanha e depois começou-lhe a crescer o nariz e não percebi lá muito bem”.- disse o Tio Patinhas.
- Não acredites em nada do que ele disse e diz (ele é bastante mentiroso) e por isso dei-lhe o nome de Pinóquio”. - disse a rapariga.
Hum… gosto de Pinóquio. E tu como é que te chamas? – disse o Tio Patinhas Eu chamo-me Branca de Neve e tu como te chamas?
- Chamo-me Tio Patinhas, e já agora deixa-me apresentar os meus dois amigos o Tarzan e o Terk”. Então se não és ninguém da viagem o que fazes aqui? – perguntou.
Nada, simplesmente estava á procura do meu boneco, esse que tu encontraste.
- Ah, então toma lá o teu boneco, mas digo-te que ele é bastante esquisito. Então moras onde?
- Não tenho sítio fixo, tenho uma tenda e é conforme o tempo que vou mudando de sítio, e vocês?
- Eles fazem o mesmo que tu, mas comigo é uma longa história que te vou contar, mas primeiro queria pedir-te um favor, podes ajudar-me a encontrar uma maneira de sair daqui, é que eu perdi-me e vivo na Europa em Amesterdão.
- Claro que posso, vamos a isso.
- Muito obrigado.
E assim começaram uma nova caminhada. Passado algumas horas, Tio Patinhas ouve um som de um avião e começa e gritar bastante alto:
- Heyyyyyyyyyyyyyyyyyy…. Heyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy… Aquiiiiiiiii …Aquiiiiiiiiiiiiiiiiiiii”.
O avião aterrou e o piloto disse:
-Sr. Patinhas nós demos pela sua falta e viemos logo buscá-lo, vá entre.
Mas Tio Patinhas demorava a entrar no avião.
-Então o que se passa não vai entrar?- questionou o piloto.
- Vou, mas é que eu durante este dia fiz bons amigos e agora custa-me deixá-los. Vocês não querem vir? Seria bastante engraçado se fossemos todos juntos.
- Não podemos aceitar, a sério… nós agradecemos muito mesmo do fundo do coração mas cada um de nós já tem planos e projectos para a vida, também nos custa bastante mas segue com a tua vida em frente e força.
- Obrigado por tudo, vocês são bons amigos e tive bastante prazer em conhecer-vos. Até um dia destes.
- Até um dia destes, amigo.

Conclusão:O Tio Patinhas era bastante rico e durante a sua viagem, quando se perdeu, teve a noção do que é a vida noutros locais do mundo. E isso fez-lhe ver e descobrir a outra parte de si, da ajuda entre as pessoas nestes momentos difíceis e o que é a verdadeira amizade .




Emanuel Parracho e Miguel Sousa


José Saramago...


video


Trabalho realizado por Cláudia Graça